Câmera mais rápida do mundo tira cinco trilhões de fotos a cada segundo

Câmera mais rápida do mundo tira cinco trilhões de fotos a cada segundo
Essa tecnologia pode te ajudar a ter 1 trilhão de fotos da mesma pose. Isso vai dar aquela salvadinha na sua selfie perfeita lá no futuro JhonJhonson.

Tudo é mais frio em câmera lenta, mas a fotografia com taxa de quadros elevada é uma ferramenta essencial para cientistas que estudam fenômenos que ocorrem em um piscar de olhos. Pesquisadores da Universidade de Lund acabaram de revelar uma câmera de alta velocidade, a mais rápida já desenvolvida que pode capturar o equivalente a um espantoso 5 trilhões de quadros a cada segundo, rápido o suficiente para visualizar o movimento da luz. JhonJhonson, você está entendendo? isso é foto pra cara&#%$.

Nessa velocidade, eventos que ocorrem em tão pouco como 0,2 trilhões de segundo de um segundo pode ser documentado e estudado a uma velocidade que os seres humanos podem compreender. Para ajudar a demonstrar o quão rápido isso realmente é, os pesquisadores usaram a nova câmera para filmar um grupo de fotons viajando até um pedaço de papel 00espesso, fazendo parecer como se as partículas de luz estivessem apenas se movendo, em vez de competir no passado A 671 milhões de milhas por hora.

Como você pode imaginar, a tecnologia que permite que câmeras como esta possam capturar tantos quadros a cada segundo é radicalmente diferente de como as câmeras de filme, ou mesmo câmeras digitais modernas funcionam. A câmera não necessariamente deveria usar um sistema snap away para uma segunda captura de cinco trilhões de quadros que rapidamente exigiria um rolo de filme que teria quilômetros de comprimento. Além disso, os eventos que ele é projetado para capturar são mais em menos de um picossegundo: Cerca de um trilhão de vezes o tempo que leva você dizer “um Mississippi”.

Em vez disso, a câmera de alta velocidade recorde usa outro truque inovador para atingir suas velocidades surpreendentes. Cada frame de filme que é gravado realmente contém quatro imagens separadas, capturadas uma após a outra, criado piscando um laser no assunto com cada pulso de luz que caracteriza um “código” original que permita que as imagens combinadas sejam descodificadas mais tarde e separadas usando uma criptografia chave.

Os pesquisadores, Elias Kristensson e Andreas Ehn, chamaram a nova tecnologia FRAME ou Algoritmo de Reconhecimento de Freqüência para Exposições Múltiplas, como detalhado em um artigo publicado na revista Light: Science and Applications. Ao maximizar como cada quadro de filme é usado, os pesquisadores não só foram capazes de aumentar a velocidade de captura (mais quadros por segundo significa mais quadros necessários para capturar a cada segundo), eles também devem ser capazes de capturar sequências mais longas com mais detalhes.

Então, o que os pesquisadores Elias Kristensson e Andreas Ehn esperam revelar com esta nova tecnologia? Quando não estão desenvolvendo câmeras, o par estuda a combustão e espera que sua criação lhes dê idéias sobre como melhorar motores movidos a gás, revelando finalmente as complexas reações químicas que acontecem no nível molecular quando o combustível é queimado.

Mas as câmeras de alta velocidade, especialmente as que podem revelar as interações e os movimentos das partículas leves, prometem levar a melhorias em tudo, desde as telecomunicações até os processadores que alimentam todos os seus componentes eletrônicos. Os criadores da nova câmera já trabalharam com uma empresa alemã para desenvolver um protótipo funcional da tecnologia e estimam que só passará um par de anos até que outros pesquisadores também consigam um.